Vitrines Da Vida

Papai Noel Existe

Olá Papai Noel!

Desculpe-me estar escrevendo uma carta, se já nem sou mais uma criança…
É que me deu uma vontade de falar com você e confessar que não me ensinaram a acreditar que você existia… porém no fundo, no fundo eu sempre duvidei daquelas pessoas bobas e esperava, esperava que você chegasse a cada dia 25 de dezembro. Mas você nunca veio… mas deve ser porque você estava ocupado demais – eu pensava.
Eu sabia que tinha muitas outras crianças precisando de coisas muito mais do que eu, apesar de eu não ter nem uma Árvore de Natal, apesar de eu ter me comportado bem… Minha casa era simples demais… eu nem deixava um lanchinho para você… eu nem tinha chaminé! Eu tinha tantos irmãos, nove, na verdade. Ah! Você não podia me dar um presente e não deixar outros para os meus irmãos, não é Papai Noel?
E sabe por que hoje eu sei que você existe? Porque eu cresci Papai Noel e descobri o que eu já sabia: “não existe idade para acreditar”, basta querer. Descobri também que quando ajudo aos que necessitam há uma coisa dentro de mim que me recorda você, me sinto tão feliz, tão quanto as outras crianças deviam se sentir quando você as visitava… Sabe Papai Noel, descobri o Amor. A amizade. A Esperança e com elas, aprendi a viver. Aprendi a ser gentil, a entender as Diferenças nas pessoas. Aprendi a ser paciente. Conheci a Bondade e a maldade também, mas não sou má, viu Papai Noel, juro que não sou. Já é quase Natal e sei que você é muito atarefado por isso não vou tomar muito seu tempo. Sabe Papel Noel, eu também busco algumas cartinhas de crianças carentes, lá no Correio da Afonso Pena (você sabe onde é?). Eu compro os presentes e deixo no correio para eles entregarem. É tudo anônimo Papai Noel, mas isso me faz tão bem. Eu juro que faço o que posso para alegrar essas crianças que nem conheço… Ah! coloco balas, chocolates junto com aos presentes, acho que elas devem ficar felizes, porque eu fico tão feliz Papai Noel! Eu sei que não posso ajudar mais, mas compro algumas cestas básicas e vou lá em Sabará no bairro Santo Antônio das Roças Grande e distribuo para as famílias que fazem fila para receber. E meu coração se enche de Alegria. Sabe o porquê? Porque sei que é assim que você se sente.
Por isso, hoje eu não vim pedir nada não. Eu só quero continuar acreditando no Amor entre as pessoas. Eu só quero Papai Noel, ser igual a você! Eu só quero ser Gente grande consciente de que a pobreza é demais e que cada um pode dividir um pouquinho de Alegria, ainda que seja para desconhecidos.
Papai Noel, eu vim mesmo foi agradecer. Porque tive muita Paciência e Esperança em esperar você por toda a minha infância e com isso, descobri que você não mora lá naquele Pólo Norte Gelado. Você mora aqui, “ Seu Danadinho”, aqui dentro de mim, bem guardadinho no meu Coração! Você me ensinou tudo direitinho e aprendi. Feliz Natal Papai Noel e obrigada viu? Um forte abraço Papai Noel, bem apertado, para que eu possa sentir o pulsar do meu coração mais forte. Te amo muito Papai Noel!

Rosália Silva Bicalho

Compartilhar