Vitrines Da Vida

A felicidade até existe

Depois do casamento, Maria foi residir com o esposo em Hertfordshire, condado da Inglaterra. Jamais imaginou que poderia ser tão feliz na vida. A saudade da família e dos amigos que foram deixados para trás, com o tempo foi abrandada. Acostumava-se dia-a-dia com a cultura e as pessoas daquele lugar. Conheceu Alfie no intercâmbio da faculdade. Na ocasião ele viveu no albergue. No final da aula ficavam horas namorando. Trocavam beijos e abraços…
Foi um ano e meio de gestos de amor. Enfim, Alfie regressou ao seu país.
Quanto tempo longe! A paixão chegava a sufocar ambos.
Seis meses depois, Alfie voou para o Brasil, desembarcou no aeroporto Galeão no Rio de Janeiro.
Ao se encontrarem o abraço foi um aconchego majestoso. O beijo teve gosto de mel. Cheiravam-se, apertavam-se e as pessoas ao redor paravam impressionadas com a bela cena de amor.
O casamento aconteceria em poucos dias, já que a documentação fora providenciada.
Maria é de uma família distinta. Com receio seus pais aos poucos perceberam que Alfie tinha tudo para fazê-la feliz.
Casaram-se no sítio da família em uma cerimônia privada.
Hospedaram-se no Copacabana Palace.
A primeira noite de amor foi irrigada de carinhos. Tudo na medida exata. Uma magnitude de sintonia que o orgasmo de ambos acontecera ao mesmo tempo.
E se amaram…
No dia seguinte, caminharam pela praia de Copacabana. No final tarde visitaram o Cristo, andaram de bonde e o quarto do hotel testemunhou mais uma intensa noite de noite.
Após uma semana, entre lágrimas ela partiu rumo à felicidade, com o medo normal de qualquer pessoa que se ruma a uma mudança total de vida.
Cinco anos se passaram…
Maria se tornou feliz, completa. Seu amor era o marido ideal. Cobria-a de atenção, dividia as tarefas da casa. Durante o dia telefonava várias vezes somente para dizer – eu te amo.
Tudo era tão perfeito que parecia um conto de fada, porém os contos de fadas sempre têm finais felizes.
A felicidade existe… ao invés de lágrimas um sorriso…
_ Eu te amo tanto – confessava, ele todos os dias.
_ Eu também te amo, te amo, te amo. Te amo muito.
O tempo foi passando…
Tiveram três filhos.
O casal comemorou bodas de prata…
Festejou bodas de ouro.
Os primeiros netos corriam pela casa ampla.
Celebrou bodas de diamante…
Naquela tarde ensolarada caminhavam de mãos dadas pela praça. O caminhar lento. Nas mãos marcas do tempo.
Os mesmos olhos.
O mesmo amor.

Compartilhar