Vitrines Da Vida

Segue na tristeza

“Onde você estiver não se esqueça de mim.
Não se esqueça que te amo.
Não se esqueça dos nossos toques, carinhos e carícias.”
A vida delineou para eles rumos desiguais.
Hoje restam somente lembranças.
Mas para Naomi a dor fora maior.
Jamais pensou que o amor poderia doer tanto e trazer imenso desânimo.
Não consegue apagá-lo de sua vida.
Já tentou de todas as maneiras se livrar desse efeito colateral.
Saiu para as baladas, bebeu exageradamente, algo que a fez sentir ainda mais amargura.
Beijou outras bocas.
Ousou em outras camas.
Isolou-se de tudo.
No entanto nada resolveu seu dilema.
Segue na tristeza.
Anda pela cidade apreciando os casais aparentemente apaixonados.
Seu peito dispara de saudade, as lembranças tomam conta de seu âmago.
Tão jovem ainda e não tem esperanças de amar de novo, pois o amor apagou toda alegria que tivera, a criança pura fora abusada pela perda.
Anda com olhos vendados.
Escudo para aliviar a dor.
Seu amor é um jovem imaturo que quer desfrutar todas as descobertas oferecidas pelos dias. Sua onda era ficar. Com uma e outra sem seleção.
Com Naomi tivera a mesma intenção, mesmo se estendendo as saídas por mais de seis meses.
Enxergava-a como a realização de um desejo, nada mais.
Quando percebera que a coisa se tornava séria, deixou com ela soubesse das suas aprontações e traições.
Para Naomi o mundo caiu.
Algo que jamais será entendido por alguém que quer somente curtir a vida.

Compartilhar