Vitrines Da Vida

Simplesmente, passado

Depois de perdê-la foi que aprendera a sentir sua falta, descobriu sua importância, tarde demais, pois ela já mudou seu caminho e vive em outra estação.
Teve todas as oportunidades de ser e de fazê-la feliz, mas o desejo do corpo venceu e ele se entregou a outros toques.
Até cumpria e muito bem sua função na cama, namorado carinhoso, atencioso, safado, tão safado que sempre queria outras mulheres.
Necessitava disso como o ar que respira, o resultado foi lamentador.
_Já sei o que anda fazendo por ai – disse ela em tom revelador, frio, indiferente e com desprezo.
_Do que está falando, meu amor? – fingiu de bobo, como sempre fingira durante toda a sua medíocre vida.
_ Deixa de ser cínico…
E revelou os detalhes da descoberta.
Não conteve as lágrimas.
E não podia mais olhar naqueles olhos frios.
Ele partiu sem argumentos, deixou um vazio tão ruim de sentir.
Saber a realidade machuca demais.
A verdade faz sofrer.
Hoje, seis anos depois, ele ainda tenta se aproximar, vem sorrateiro que nem anjo sem asa, porém certas atitudes mostram que ele não mudou.
Continua dissimulado, desprezível e jamais poderá ser amado, pois não ama nem a si mesmo.
A falta que sente dela é porque jamais em sua vida encontrou alguém verdadeiro. Alguém que o tratasse com respeito, somente cruza seu caminho pessoas vulneráveis, afinal atrai o que de fato ele é.
Vive mudando de cidade.
Vive trocando de máscaras.
Vive na mentira
Quando recebe no celular alguma mensagem dele, ler sem emoção e apaga com desprezo, sua dor hoje é saber que alguém tão sujo se lembra dela, se soubesse como o despreza, ele pensaria melhor antes de suas investidas baratas.
É ignorado e já deveria ter percebido que é simplesmente um passado desses que não vale a pena ser lembrado.

COMENTE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.