Vitrines Da Vida

Setembro

Tiveram um breve namoro. Destes explosivos.

Desejo e paixão misturados…

E essa mistura é intensa demais, realiza e fere ao mesmo tempo.

Foram noites de sexo e muitos afagos.

Saborearam sem comedimento os corpos incendiados de anseios.

Portanto como a paixão passa subitamente, cada um, pouco tempo depois, ou seja, quatro meses, seguiu seu caminho.

Ele se jogou nas aventuras da vida, pudera, apenas com vinte e um anos, estava na fase de curtir e conhecer novidades, jogara nas baladas, nas bebidas, nas drogas e nas mais diversas formas de prazer.

Isso fê-lo chegar ao fundo do poço, foi mês a mês se desgastando, se decepcionando, se dilacerando, se tornando um ser ruim… aquele jovem de coração bom e boas intenções estava contaminado pelas dores da vida.

Ela também tivera nesse meio tempo muitas decepções, muitos abraços frios, muitos beijos sem sabores. Muitos desejos frustrados.

Agora, setembro, como há anos idos, voltaram a se falar. Encontraram-se numa rede social e refizeram, relembraram os bons momentos que viveram.

__ Eu te amo – disse ele inesperadamente, deixando-a de queixo no chão.

Declarou e fez cobranças como se ela o devesse alguma satisfação.

Não puderam ser felizes devido a imaturidade dele e suas escolhas, Jordan queria tudo ao mesmo tempo, era como se tivesse preso e de repente encontrasse a liberdade. Queria abraçar o mundo. Queria todas as mulheres e homens também. Ela queria mais do que isso, estava com quase trinta anos e focada em outras coisas, afinal de contas, tanto a mulher quanto o homem ao chegarem aos trinta, mudam radicalmente, já não têm as mesmas vontades, da adolescência e da puberdade. Focam mais nos planos profissionais e no futuro.

Hoje, Jordan chegara aos trinta anos e passava por essa crise de identidade. Medira as perdas e ganhos. Chegara a conclusão que àquela mulher fora a mais perfeita que passara em sua vida.

Tarde demais.

Ela está em outros braços. O coração está ocupado, mesmo assim aquela declaração acendeu no seu peito uma brasa.

Ambos sentem um desejo louco de se encontrarem. Iludem-se que sentirão o mesmo tesão que sentiram.

Será que ele ainda estará com a mesma pele alva, o mesmo corpo esbelto, as mesmas mãos macias?

E ela, será que se manteve bonita, com o mesmo sorriso e os mesmo olhos que seduziam espontaneamente?

Até trocaram fotos, e também visitaram os álbuns nas redes sociais, dele, dela, mas fotos enganam muito, nem sempre a gente saí como de fato está no momento.

Marcaram um encontro futuro, afinal moram em cidades distantes.

Esperam ansiosamente viver aquele desejo antigo.

 

Compartilhar