Vitrines Da Vida

O não lembrar

E quisera ter a receita de esquecer as coisas que fazem mal.
O amor que machuca ao acabar.
A morte que chega inesperadamente e bate na porta da saudade.
Quanto sofrimento, algumas lembranças, causa.
Lamentava a cada dia suas demandas.
Lamentou quando a mãe se foi.
Lamentou pelas vezes que algo saiu diferente do que planejou.
Foram lágrimas e mais lágrimas.
Ao conhecer Nathan tudo mudou.
Ele parecia um antídoto contra os, mais fortes, venenos da vida.
Em seus braços sentia paz.
Em seu sorriso encontrava a esperança.
Na sua cama o dia seguinte tornara-se um convite inexplicável e impossível dizer não.
Viviam as mais puras descobertas do amor.
Beijos…
Abraços…
Carinhos…
E carícias.
Um desejo na alma…
Um desejo profundo.
A razão do viver pode estar ao lado, sem mais, nem menos.
Nathan a fez não se lembrar das curvas da desilusão.
O não lembrar a fez tão.
Amnésia necessária em tantas ocasiões.
Agora, ela se encontra em total harmonia.
Hoje consegue sorrir.

Compartilhar