Vitrines Da Vida

Em cima do muro

Vivia agradando a todos, pelo menos pensava assim.
Nunca fora capaz de se posicionar confessadamente nas situações ajeitadas pela vida.
É um homem existido como bem sucedido na vida.
Homem respeitado e até admirado.
Porém convivendo com ele é possível perceber seu mais cruel defeito.
Deformação impossível de mudar.
Vive em cima do muro.
Para tudo sempre arruma um escudo.
Com quase cinquenta anos, já até comemorou bodas de prata, a imperfeita esposa tornou-se responsável pelas decisões dessa caminhada.
Para tudo, ela, arrumara a solução e o frouxo continuava neutro, simplesmente querendo ser benquisto por todos.
Às pessoas que perceberam essa distorção, logo se decepcionaram e produziram um jeito de se afastarem.
Categoricamente viver com alguém assim é complexo demais.
Ser amigo de alguém assim toa pérfido, acordes viciosos.
Ele segue incólume, fingindo-se de bobo.
Simula para viver, já que não contraiu o hábito de assumir as rédeas de sua vida.
Um fato ele não sabe realmente, a usada esposa já se enfadou dele.
Respira outros ares nas tardes em que inventa uma desculpa qualquer, sabe que o frouxo não a questionará.
E é fingindo de bobo que ele vai levando sua oportunista existência.

Compartilhar