Vitrines Da Vida

Amor que não passou

Quando a saudade vem aumenta a solidão. No coração um segredo escondido. No olhar uma lágrima contida.
O sabor de um beijo que nunca acorreu. Amor que não passou.
Mas em seus sonhos tudo pode acontecer, ele em seus braços, na sua vida.
E foi assim que depois de tanto tempo se pegou sofrendo de saudade. Saudade de um amor não vivido, de uma ternura esquecida pelo tempo.
Após a juventude, ambos seguiram caminhos tão desiguais, que o deixaram tão distantes da vontade que tinham.
“Esquecer você, não tem jeito” fixara essas palavras na mente feito tatuagem.
Já tentou de tudo para não pensar nele, engano nada mais, sem ele não pode se aceitar, não pode ser feliz. Nunca será feliz. Jamais se sentirá completa, plena, amada.
Entre tudo numa noite de setembro se encontrou com ele, em seu sonho, apenas no seu triste sonho.
Jantaram juntos, tomaram um vinho.
Ela se aconchegou em seus braços, quantos carinhos almejados por tanto tempo.
Sentimento ferido.
Amor perdido.
A última canção.
A solidão. Como se sente sozinha. Precisa acreditar que está sozinha.
A história deles começara há muito anos, se conheceram, se apaixonaram, porém estavam em outros braços, o resultado foi um amor não correspondido, na realidade, um amor não vivido, já que ambos se derretiam de sentimentos um pelo outro.
O destino também fizera o seu papel neste romance, torceu contra, pois sempre colocara no caminho dele ou dela alguém para desviar aquele encontro.
Foram tantos erros.
Foram tanto acasos.
Agora, restou unicamente a saudade. O imaginar de como teria sido se tivessem se entregado sem pudor. Como teria sido se fossem casados, se dormissem juntos, se brigassem juntos. Queria poder sentir raiva dele e depois amá-lo com mansidão. Tocaria sua pele alva, sentiria seu perfume, aspiraria cada sentimento daquele desejável corpo, o beijaria com sede. E ele também andaria por onde amor lhe mandasse.
São tantos se…
Restam dúvidas.
Restam lamentos.
Restam tormentos.
E uma vontade louca de ir atrás dele e dizer “chega, eu te amo, eu te amo, eu te amo, minha vida, meu amor, meu ar, você também me ama e sabe bem disso, vamos nos entregar a esse amor”, é uma vontade contida, tímida, cheia de respeito. Ela se limita a tantas coisas, não age com ousadia, nem sabe se ele espera este gesto.
Vai vivendo de solidão.
Anulada a cada amanhecer.

Compartilhar