Vitrines Da Vida

Vibração indecifrável

Aquela história parecia não ter fim.
Fábula perfeita. Mal sintonizada nas esquinas da vida.
Superou os anos e as barreiras dos sentimentos.
Um amor puro – seria?
No entanto, preferiam se rotularem como amigos.
Ele seguiu seu caminho na onda do ficar.
Homem interessante. Educado. Bem resolvido financeiramente.
Cheio de conflitos emocionais.
Com quase trinta anos.
Nas noites sem o que fazer se pegava pensando nela.
Podia sentir seu perfume. Sua confortante voz.
Pegava o celular e discava.
Assim, ficavam horas a conversar sobre tantas coisas.
Palavras bem pensadas para não deixar escapar uma sucinta declaração de amor.
Dione não sabia neutralizar quando se tratava dele.
Sentia uma vibração indecifrável.
Carecia amá-lo.
Precisava ser dele.
Necessitava dos seus beijos, seus braços, seu corpo.
Quem sabe dessa forma, sentiria completa pelo menos um momento na vida.
O amor tem angustiado tantas pessoas.
Perdem a razão.
Afogam-se em lágrimas.
Fazem insanidades e asneiras pasmosas.
O amor também tem feito tantas pessoas felizes.
Completas e repletas de satisfação.
Tudo na medida exata.
Atenção, respeito, fidelidade, carinho, sexo e até mesmo ciúmes.
O ciúme é o tempero especial do amor.
Dione não sentia ciúmes de Junior.
Não sentia vontade de fazer sexo com ele. Almejava somente estar em seus braços. Imaginava-se ali.
Simplesmente em sua melosa companhia. Falando de suas vidas desiguais. Relacionamentos, problemas profissionais e buscando juntos, a solução para tantos problemas de ambos.
Sem querer estavam hora e outra buscando o conforto do outro.
Sofrer por amor é o pior sentimento que pode existir, contudo Dione não sofria.
Fazia tantos planos para o próximo encontro, mas na hora crucial arrumava uma desculpa e sequer aparecia.
Junior ficava lá a ver navios, procurando decifrar os enigmas do seu coração e os enigmas daquela mulher que faz parte da sua vida, desde a adolescência.

Compartilhar