Vitrines Da Vida

Tristeza disfarçada

Valéria vive sempre preocupada com a vida alheia.
Vive a observar o que o outro veste, come, compra… e como não gosta de ficar para trás, sempre se compara nas situações. Em tudo ela se diz melhor e quando não tem aptidão, usa alguém da família para tal fato. É um alguém digno de pena. Deixa as pessoas que a conhecem entre a cruz e a espada. Pois, se a ajudam se prejudicam, se lhe viram as costa é uma covardia.
No entanto, como manter uma amizade com alguém assim? – se perguntam os poucos amigos.
O pior de tudo é o olho dela e a energia negativa. Ela finge bem estar quando vê uma conquista alheia, porém por dentro existe na verdade um sentimento de desejo de ter aquilo também… se alguém se destaca, ela também tenta se destacar. Se algo  tem possibilidade de dar certo, Valéria jamais pode saber, senão o rumo é outro. Tudo que ela fica sabendo ou se envolve dá errado. Parece que carrega uma maldição. Sua vida é totalmente desalinhada.
E infelizmente existem tantas pessoas assim…
Às vezes,  não sabem dessa  inveja, é um sentimento e algo tão normal querer ser ou ter o que é do outro, que simplesmente param suas vidas, apenas admirando as conquistas alheias.
Esse tipo realmente atrapalha demais o nosso viver.
Têm:
O olho gordo.
Inveja!
Tristeza disfarçada pelas nossas vitórias.
Destinam o pensamento negativo o tempo todo ao seu invejado.
A melhor solução é manter distância, ir se afastando aos poucos, porque esses seres são tão omissos a tudo que nem percebem que nos incomoda. Usam uma máscara perfeita e seguem destruindo tantas vidas e tudo ao redor. Vivem tristes e são invadidos por uma tremenda incapacidade de concretizar seus objetivos sentimentais e materiais.

Compartilhar