Vitrines Da Vida

O pedido

Não sabia se era sonho ou realidade.
Sentiu-se tão confuso.
Véspera de natal.
A ceia ocorreu na casa da matriarca – a avó.
Ali toda a família se reuniu, assim como nas últimas décadas.
Meia-noite em ponto o barulho dos fogos se misturavam com dos brindes e gritos de felicidade.
Quanta emoção num só momento.
Voltou para casa por volta das três horas da madrugada.
Estava sozinho.
Deitou-se na poltrona de couro, pegou o controle remoto ligou a TV.
Agora, diante dele estava o Bom Velhinho, exatamente da maneira que sempre ouviu falar. Traje vermelho, barba grande e a peculiar risada.
“Você tem direito a um só pedido” – foi breve, antes de ser questionado.
Pensou um pouco e disse:
“Quero voltar o tempo.”
“O que?” – indagou sem entender.
“Isso mesmo…”
“Tudo bem! Mas explica-me por quê?”
“Para eu poder fazer as coisas boas que deixei de fazer. Ter a capacidade de errar menos. Dar o abraço que não dei. Fazer a declaração que não fiz. Pedir desculpas. Enfim resgatar tantos sonhos perdidos nas curvas do tempo.”
O velho se aproximou, sentou-se ao lado, pausadamente pronunciou, as palavras acariciavam-lhe a alma.
“O passado passou. Mesmo que seja marcado por coisas que incomodam. Voltar não resolve a situação. Ainda há tempo. Faça daqui pra frente coisas boas. Erre menos. Dê o abraço. Declare-se. Peça desculpas e chore se isso for aquecer o frio do seu coração. Hoje o ser humano vendou os olhos para o próximo… porque muitas vezes a pessoa não quer apenas dividir seu problema, mas quer que o outro resolva para ela. Mas há tempo para refletir e perceber tantas coisas que pode fazer por si mesmo. Isso deve ocorrer não apenas hoje por ser natal… mas em todos os dias. O amor modifica tudo. Lembre-se sempre disso.
Feliz Natal.”

Compartilhar