Vitrines Da Vida

No seu mundo de ilusões

Foi tão feliz junto contigo.
Hoje resta a saudade, ao passar nos lugares em que passavam juntos.
Ao escutar as mesmas canções que escutavam juntos.
Alguma coisa sempre faz lembra-lo.
Hoje sente sua falta.
Nem consegue descrever como dói tudo o que sente.
Confessa que tenta esquecê-lo.
Beija outras bocas.
Aconchega em outros braços.
Turisma em outras camas, porém nada resolve, nada supre o vazio que apossa de sua vida.
“O melhor é se isolar” – decidiu.
Tenta a todo momento distrair-se com outras coisas, e em alguns momentos até consegue.
Seu sentimento é tão real, por isso vive a amá-lo e a querê-lo mais e mais.
As pessoas não entendem o mundo que ela vive.
Mundo de sonho.
Mundo de ilusão.
Naquele instante, no escuro de sua sala, no silêncio do sentimento mudo, caminhou até a estante, pegou um CD, inseriu no home theater. A seguir quebrou algumas pedras de gelo com o instrumento, jogou no copo e derramou uma longa dose de uísque.
Relembrar lhe fazia bem.
Coisa do coração – fazer a pessoa acreditar que nasceu para amar somente um único alguém.
O melhor é nem tentar entender, Karem decidiu assim, guardou tudo que vivera com aquele homem lá fundo de sua alma.
Com trinta e poucos anos, é uma mulher atraente, empresária no ramo alimentício, sua marca tem franquias em todo o país.
“O melhor é viver assim no meu mundo seguro, sei que nada mudou, o tempo vai passando, vejo seu olhos em cada olhar, seu rosto perdido na multidão. Sei que você não é mais tudo que um dia eu quis.” – pensa já inebriada pela bebida.
Sozinha caminha até a janela, lá fora a cidade está viva.
Pessoas indo e vindo, no entanto, em alguns dias para Karen seu mundo é mais seguro.
Mais um verão passou.
O que sabe é que nada mudou.
Pudera fingir que o tempo não passou sem perder o jeito de viver.
Continua ainda na longa espera.

Compartilhar