Vitrines Da Vida

Momento de fama

Assumia sem nenhum arrependimento.
Uma celebridade do mal recheou as principais páginas de jornais e os mais importantes telejornais, na coluna policial.
Momento de fama.
Fora necessário mostrar a todos sua maledicência. Sem censura.
Assaltou ousadamente um lucrativo comércio de sua região.
“Eu agi sozinho” – declarou ao jornalista que o entrevistava.
Parecia mais um animal perigoso. Na jaula de trás do camburão, algemado.
“E agora que está preso como será”? – continuou a entrevista.
“A casa caiu, fio, cabou tudo. Agora é pagar, né.”
Ele tivera seus minutos de destaque, jovem bonito, embora a cara de mau, com quase vinte anos, mal tratado pela vida que escolheu.
De família imensamente humilde, argumentara que planejou o delito para sustentar a casa, desculpa de todos que entram no crime.
A realidade é que a droga o fez escravo.
Começara em casa, CD’s, roupas, eletros domésticos e até o mísero dinheiro da mãe que lava trouxas de roupas para quitar o aluguel do barraco que moram.
Evandro quis assim.
Preso em flagrante, ficaria detido por mais de três meses.
A seguir será julgado…
Cumprirá uma pena alternativa.
E logo estará de volta ao crime se não mudar seus conceitos humanos.

Compartilhar