Vitrines Da Vida

Fez te amar

Dias corridos.
Sempre assim desde que tornara-se adulta. Com mais de vinte anos Camila casou-se para vencer a solidão, na realidade o noivo nem era tudo que almejava, já que ela carregava vestígios de seu namorado anterior, que tornou-se um amor sem solução. Amava-o demais, sabe esse tipo de amor que não se esquece – assim ela o amava.
Antes de se casar ainda tentou discretamente abrir os olhos do seu grande amor. Portanto nada adiantou.
Foi pedida em casamento inesperadamente e o fato  do rapaz ter boas intenções, casou-se sem amá-lo. Entrou na igreja com a face entristecida, na mente o amor anterior… cada palavra… sua indiferença. Na hora do sim, uma pequena pausa, um sorriso para o noivo.
Mas ele amava aquela mulher, e pacientemente foi ganhando-a. Estava sempre em sua companhia e se amavam com ardor nas noites mansas. Dormiam abraçados e acordavam lado a lado. Em certos dias Camila sentia um vazio infindável. Problema sem solução – era um atrito dela, impar, interno. Sempre estava em contato com o ex. Foi nesses momentos que percebeu quanto frieza tinha naquele homem – seu amor. Inesquecível amor.
E assim quando percebeu ela estava apaixonada pelo marido. Mesmo em certos dias, com o latejar no peito querendo incomodar.
E os dias passavam…
O amor tocou-a naturalmente. Percebeu que o marido era seu verdadeiro amor.
Passou a amá-lo com nostalgia.
Beijava-o com vontade.
Abraçava-o de verdade.
Dizia-lhe sempre – eu te amo, eu te mo, eu te amo. No pensamento “ ele me fez te amar.”
Dias corridos.
Sempre assim desde que tornara-se adulta. Com mais de vinte anos Camila casou-se para vencer a solidão, na realidade o noivo nem era tudo que almejava, já que ela carregava vestígios de seu namorado anterior, que tornou-se um amor sem solução. Amava-o demais, sabe esse tipo de amor que não se esquece? – assim ela o amava.
Antes de se casar ainda tentou discretamente abrir os olhos do seu grande amor. Portanto nada adiantou.
Foi pedida em casamento inesperadamente e o fato  do rapaz ter boas intenções, casou-se sem amá-lo. Entrou na igreja com a face entristecida, na mente o amor anterior… cada palavra… sua indiferença. Na hora do sim, uma pequena pausa, um sorriso para o noivo.
Mas ele amava aquela mulher, e pacientemente foi ganhando-a. Estava sempre em sua companhia e se amavam com ardor nas noites mansas. Dormiam abraçados e acordavam lado a lado. Em certos dias Camila sentia um vazio infindável. Problema sem solução – era um atrito dela, impar, interno. Sempre estava em contato com o ex. Foi nesses momentos que percebeu quanto frieza tinha naquele homem – seu amor. Inesquecível amor.
E assim quando percebeu ela estava apaixonada pelo marido. Mesmo em certos dias, com o latejar no peito querendo incomodar.
E os dias passavam…
O amor tocou-a naturalmente. Percebeu que o marido era seu verdadeiro amor.
Passou a amá-lo com nostalgia.
Beijava-o com vontade.
Abraçava-o de verdade.
Dizia-lhe sempre – eu te amo, eu te mo, eu te amo. No pensamento “ ele me fez te amar.”
Compartilhar