Vitrines Da Vida

Falsas palavras

Compreender o engano causou-a um mal estar.
Nunca fora de ficar remoendo o passado, mas agora as lembranças vinham feito sol em dias de verão.
Acordou após meio-dia.
O café ainda estava na mesa a sua espera.
Depois do demorado banho, postou-se e bebeu somente um suco de maçã. Sequer cumprimentou a governanta.
Ali, permaneceu, alguns minutos…
Jamais pensou que poderia ser tão enganada, porém foi.
Laurem tem uma beleza invejável. Vinte anos, cursa Geografia. Mora com os pais e é filha única.
Conhecera Flávio na sala de bate papo na internet. Logo estavam se falando todos os dias. Ele era doce… era tudo que ele queria. Acreditara em tudo que dissera – falsas palavras… amargas ilusões.
Foram meses falando de amor.
Tantas revelações.
As delas reais…
As deles somente fantasias.
A verdade era outra, Flávio era casado e vivia um casamento perfeito. Seu vicio na internet fazia criar fantasias e brincar com os sentimentos alheios. Batia papo no MSN com mais de dez moças e até rapazes ao mesmo tempo e todos ficavam fascinados por ele.
Quando a coisa ia ficando mais séria, Flávio simplesmente sumia sem explicação.
Laurem decidiu investigar o que ocorrera.
A realidade foi uma bomba. Destruiu seu castelo de areia.
Agora sabia que precisava dele mesmo que fosse unicamente no mundo virtual.
Voltou para o quarto. O dia estava nublado!
Ligou o notebook.
Escutou uma música e a letra dizia exatamente o que sentia…

“…Tenho andado sem motivos
Desde que você partiu
Te procuro em toda parte
Desapareceu, sumiu
Aos amigos, represento
Finjo sempre que estou bem
Mas na solidão do quarto
Sinto que não sou ninguém
Volta logo
Sinto falta de você em minha vida
Só você pode fechar essa ferida
Que se abriu quando partiste
Sem explicação…”

Nos olhos lágrimas…
No peito uma dor…
A esperança de que um dia tudo que vivera no mundo virtual tornaria realidade.
A mesma esperança carregada por dezenas de pessoas iludidas no mundo virtual.

Compartilhar