Vitrines Da Vida

Eu abri a porta

Eu abri a porta…
No instante que mais precisava de você. Eu decidi abrir a porta para que partisse mesmo sem explicação. Sem forças… com medo de lhe pedir ajuda. Deixei que o meu coração fosse dilacerado aos poucos… afinal, eu abri a porta… e você se foi. Cheguei à conclusão de que a vida é somente um momento no espaço. Os sonhos são substituídos pela realidade árdua dos dias sem sentido.
Eu abri a porta…  mesmo olhando no seus olhos e percebendo o forte sentimento. Eu me afastei para não entregar tudo para você. Eu preciso ter segurança em mim para te deixar sair. Sem ficar perdido na neblina… na dor do amor. A realidade é que fiquei aos pedaços, mesmo me enganando e dizendo a mim mesmo que sou forte e seguro. Eu preciso esquecer as coisas que você me ensinou e que somente nós dois sabemos e isso tudo machuca tanto. Eu preciso me livrar das dúvidas que me perturbam.
Eu abri a porta e preciso aprender que sou único, preciso me dar o melhor de mim. Preciso seguir em frente sem medo de sofrer. Preciso conter as batidas do coração quando, por acaso, me deparar com você no meio da rua, em meio a multidão… quando os meus olhos sem querer te encontrar – terei forças para não me aproximar e entregar tudo, tudo, tudo, tudo para você. Tenho que conter o disparo do meu coração, a vontade de correr em sua direção e declarar todo meu amor… e entregar tudo para você.
Eu abri a porta…
Você, agora,  é passado.

Compartilhar