Vitrines Da Vida

Desatinos humanos

O ontem passou.
O presente é o que importa.
O futuro é somente uma possibilidade, mas viver arriscadamente é a condição de milhares de pessoas atualmente.
Seguem na estrada em alta velocidade sem se preocupar com as curvas da vida.
Um dia a casa cai…
Rudynei vivia bebendo todos os dias.
Chegava em casa um caos humano, humilhava a esposa, batia nas crianças.
Certa a noite ao regressar como sempre – “trêbado” – não encontrou ninguém, a esposa partira com as crianças. Isso o motivou a beber mais e mais, tornou-se sua desculpa.
Nara vivia a trair o esposo, homem digno, cheio de valores, mas ela nunca o deu valor. Deitava-se com um e outro sem pensar duas vezes.
Seu esposo sempre fora calmo, porém ao saber da traição, não se conteve e disparou a arma de fogo na cabeça dela, mandando-a para o inferno.
Denise e mais cinco amigos viviam dando golpes em lojas, depois de lesar quase todo comércio da capital, viajaram para uma cidade do interior com essa intenção também. Porém foram desmascaradas e presas. A mídia fez questão de divulgar o crime e hoje elas respondem diversos processos – ah, em liberdade. Pagam cestas básicas.
Alisson usou crack até se perder totalmente.
“Noiava” sem parar.
“Noiava” o salário da mãe, os eletros domésticos, e tudo que podia roubar e trocar pela almejadas pedras da droga. Noiou suas amizades e seus valores… se é que teve algum.
Nos momentos de “noia” ajoelhava no chão tentando encontrar nem que fosse uma faísca da pedra foragida das suas tragadas.
Tiago roubara o patrão até não poder mais. Um dia foi flagrado, foi despedido sem direito a nada, por isso vive na rua da amargura.
Rubenita mentia em tudo. Sua vida tornou-se um mar de mentiras e nem ela mesma sabia o que real ou irreal nas suas ilusórias vivências.
Rosângela sempre se fez de vítima. Para tudo de errado existia um culpado. De tanto não assumir suas culpas, perdeu as rédeas da sua vida.
Nos jornais continuamos nos surpreendendo com os desatinos humanos.
Maníacos…
Padres pedófilos…
Crimes bárbaros…
O massacre do fruto divino.
A perda total do limite.
Humanos ou animais?
Em que os seres vivos – que se dizem racionais estão se transformando?
Inveja, ganância, ódio, vingança, mentira, magoa, vícios, adultérios… sexo sem pudor, o desvio total das condutas.
O suicídio emocional.
O homicídio doloso da natureza.
Assim, vamos remando no mar da vida.

Compartilhar