Vitrines Da Vida

Através do sonho

Quantos erros cometidos.
Quantas curvas desastrosas deixando-a tão infeliz.
Seus inimigos estavam lá em posição de aplauso, prontos para bater palmas quando ela despencasse no abismo.
Viver é tão complicado.
É sempre bom estar atento aos sinais no caminho.
Cada dia é preciso se renovar.
Tina sabia bem disso.
Estava na hora de tomar uma decisão e mudar a rota dos ventos.
Seu casamento estava abalado.
Tudo por causa de um erro, um desejo maior. O desejo da pele.
O desejo da pele é uma faca bem amolada.
E ele tinha uma pele impossível de passar despercebida.
Jovem no fim da adolescência, cheio de coragem e com curiosidade totalmente aguçada.
Foi fogo e gasolina.
Podia ser visto nos olhos de ambos – o desejo.
O noivo de Tina viu.
Primeiro se consumiu na duvida – na realidade em não querer acreditar na dura verdade.
Jogou verde e colheu maduro.
“Eu te perdoo” – prometeu trêmulo receando o pior.
Aquelas palavras doíam-lhe a alma.
Foi muita dor. Saiu em silêncio, pois não tinha o que dizer. Não tinha o que fazer. Já sentia o cheiro do amante inebriar à tarde triste.
Ficou preso em círculos.
Recordações das noites quentes – agora, precisavam ser esquecidas.
Tudo ficou cinza.
Observando pela janela, carrega seu segredo, a felicidade roubada.
Tina também vive na amargura.
Escuta as palmas alheias.
“Ela nunca prestou” – era o zunzunzum sem fim.
Quisera consertar o estrago.
Ainda se encontrou com o belo adolescente durante alguns meses. Momento de fuga da solidão.
Porém tudo passou.
Ele apaixonou-se por uma garota da mesma idade e sumiu como se nada tivesse acontecido, tudo fora somente uma transa, nada mais.
Tudo ocorre através dos sonhos. Como o vento – passa depressa.
Olha no espelho e tudo que vê é seu sofrimento por trocar um verdadeiro amor por uma aventura dessas que fazem bem – pra quem prefere pensar assim.

Compartilhar