Vitrines Da Vida

A mentira

A pior mania que Valéria continha era mentir.
Mentia em tudo na sua vida.
E veramente seu viver também se tornava uma mentira. Possuía beleza e seu jeito dócil de ser atraía prontamente as pessoas. Trabalhava como simples atendente de telemarketing, mas mentia dizendo que era supervisora da equipe.
Morava num bairro simples, porém divulgava que morava na zona nobre. Seus perfumes eram de fragrâncias genéricas das mais cobiçadas, e Valéria insistia em ressaltar que usava do bom e do melhor. Pobre moça, pois seu dinheiro mal dava para suas despesas básicas.
Certo dia, iludiu-se que ganhou na loteria e espalhou: eu ganhei uma bolada, estou riiiiiiica!
O seu ciclo de amizade aumentou inesperadamente.
Todos a convidava para bares e baladas – pagavam tudo para ela.
_ Não se preocupa quando buscar seu prêmio, você nos paga – diziam os deslumbrados.
Essa passou a ser uma condição atraente para Valéria que conseguia tudo sem qualquer esforço. Creu tanto na sua história que até pediu demissão no emprego. Um amigo bem de vida induziu-a comprar sua casa com tudo dentro. Ele morava num bela moradia bem decorada na zona sul.
_ Não se preocupa quando busc…
Uma vendedora de joias não perdeu a oportunidade de fazer uma boa venda para ela. No final das escolhas, Valéria saiu com uma maleta com mais de cem mil reais em belas joias.
Sentiu-se poderosa.
Seus desejos se realizam tão facilmente.
Comprou o carro – um BMW – de um amigo recente.
_ Não se preocupa quando…
Conheceu a dona de uma renomada boutique.
Seu guarda roupas foi renovado com peças de estilistas importantes.
_ Não se preocupa depois você me paga – disse satisfeita a empresária.
E Valéria passou a frequentar a nata da sociedade.
Isso tudo em menos de um mês, pois sua mentira se espalhou tão rápido, todos queriam uma parte daquele prêmio.
E mais de um mês se passou.
Seu celular, um aparelho top de linha, tocava o tempo todo. Começaram as cobranças.
Mas o talento daquela mulher era mentir e assim ia inventando mentiras e mais mentiras. Ia driblando o tempo.
As cobranças continuavam.
E entre um argumento e outro ela continuava enganando o povo e vivendo no seu mundo de ilusões.
Toda semana fazia seu jogo na loteria.

Compartilhar