Especial

Olá Leitor…

Precisamente há 5 anos eu penetrava nesse mundo de invenção de histórias com o lançamento do meu 1º livro – Vitrine Humana. O evento aconteceu na ALMG, no dia 09 de novembro de 2004, às 19 horas.
Foram os primeiros passos…
Olhando para trás intuo como na vida tudo é feito por etapa. Tudo tem seu momento apropriado de sobrevir. O tempo vai moldando e ajustando os episódios nas nossas tantas vivências.
Embora meu dom já houvesse despertado ainda na infância, somente após madurar, obtive êxito e cheguei ao mercado.
E a bússola da vida preparou-me várias surpresas. Tantas coisas, vocês que me acompanham já sabem.
Desejo Alheio – 2005
Encontros e Despedidas – 2006
Vitrine Humana 2 – 2007
Impossível Esquecer – 2007
Com Amor Não Se Brinca – 2008
reino de deus – 2008
Um Sonho Que Ficou – 2009
Vinho Guardado – 2009
De lá para cá, foram muitos parceiros. Pessoas que me endossaram e vestiram minha camisa. Seria impossível citar todos aqui. E muito injusto seria, se me esquecesse de alguém, então, vou generalizar, certo de que as pessoas que fazem parte desta história vão, com certeza, sentirem-se abraçadas.
Meus leitores,
Meus amigos,
Minha família,
E em especial: Ryan Emmanuel do Carmo Cruz, Renata S. Cerceau, Jeanne A. Cerceau, Márcia D. Cerceau, Auxiliadora F. Cunha, Raimundo Rabelo De Mesquita, Durval Ângelo, Kayete.
A cada Ser que se sagrou com tenacidade às minhas obras, ano a ano – revisores, supervisores, designers, capistas, profissionais das áreas abordadas: temas de cada romance, enfim, a cada um que tem o toque nas inúmeras etapas por que passam a produção de um livro – meu sincero OBRIGADO.
A imprensa que sempre me deu espaço.
Equipe dos Setores de Cultura e do Marketing dos Jornais Estado de Minas e Jornal O Tempo, minha gratidão.
Tornei-me reconhecido por abordar temas dos quais a sociedade se esconde.
Fui ousado nas escolhas dos temas, uma ousadia até excomungada!
Perante tudo, sobreveio a maturidade como escritor, notada em reino de deus com um texto de tamanha perfeição, superado agora por Vinho Guardado.
Cada vez que me sento em frente ao notebook para criar minhas loucas fantasias, extasiantes histórias de amor, penso no leitor, cada palavra é medida para ser usada no momento certo.
Como inspiração uso a vida. Ah! A vida para mim tem sido um observatório perfeito. Os momentos mais tristes, os fatos que mais nos chocam são as nostalgias dos romances, a descrição que faz verter lágrimas e ata na garganta um nó, no peito uma dor gostosa e uma fincada sofrida no coração, assim são os verdadeiros romances, as verdadeiras histórias…
Talvez minha,
Sua,
Por fim de todos nós. Quantas vezes nos descobrimos dentro de um livro como personagem? Pois, ali, é presumível saber minúcias da vida alheia.
O livro é o mundo… , neste mundo que crio, posso tudo. Decido as vidas criadas por mim. Brinco como uma criança nas suas primeiras descobertas.
Essa é a mais real sensação de ser um escritor – ser Deus!

Obrigado a todos e até a próxima!

Silvio Cerceau
09 de novembro de 2009
Não poderia de deixar de agradecer por tudo a Deus… Ser Maior, Natureza, Ar que respiramos!

Compartilhar